Resguardado e acolhedor

Este final de semana encontrei uma professora e amiga que estava considerando uma mudança para o meio rural. Disse que adorava a região da nossa Ecovila pela beleza.

-"Mas vocês são meio fechados, né?"

Acho que ficamos com uma fama de fechados por termos uma aceitação formal das pessoas que querem participar. Mas não quer dizer que seja fechado, não!

A origem desta aceitação formal foi pensando casos como uma herança para alguém distante e que não tem afinidade ou compreensão dos objetivos da nossa Ecovila. E resolve fazer lá algo como um canil de rottweiler ou uma fábrica de sabão. Neste caso o herdeiro recebe o valor devido, mas não participa da Ecovila.

Em uma ocasião, uma pessoa, que já havia morando na região, se candidatou. Consultamos nossos vizinhos, que já o conheciam, porém todos recomendaram evitar. A candidatura não foi aceita. Foi um caso extremo, mas seguramente aceitar o candidato.

Porém, a proposta da nossa Ecovila é muito aberta e dá grande valor à diversidade. Se você está lendo este site, provavelmente já tem afinidade com o tema de vida com baixo impacto ecológico e bom impacto social. Então é está praticamente dentro. Não interessa religião, formação, cor, sexo, preferências políticas, etc.  Sendo honesto, valorizando o diálogo, respeitando o próximo, é o que importa!

Esta linhas são para reforçar isto: resguardado até pode ser, mas não é um grupo fechado, não! Só queremos evitar algum absurdo ou falta de afinidade. Afinal, é uma comunidade que se constrói.

Dion

Panorama da Ecovila Tibá, 2007