Preservação e uso dos bens naturais


Será destinado espaço para preservação integral de bens naturais, como matas e águas, onde este permanecerá intocado, com o mínimo de interferência.
Nas áreas de manejo, será permitida a coleta, o corte de árvores maduras (com sucessão garantida), o enriquecimento com espécies de interesse humano, entre outras atividades não predatórias. A exploração comercial por um grupo de membros deve prever uma aprovação e remuneração acordada com todo o Tibá, uma vez que é uma área comunitária.
Nas regiões de ocupação humana (agricultura, habitações, lagos, etc), o ambiente poderá ser alterado para este fim. Deve-se, todavia, procurar o mínimo impacto e ações sustentáveis. A exploração por grupos de membros deve igualmente ser acordada e remunerada.

O lixo orgânico será composto (transformado em adubo) no próprio Tibá. O lixo reciclável não aproveitado internamente, será entregue/ vendido a quem lhe dê finalidade. A porção não reciclável do lixo será entregue a empresa competente para seu depósito. Na falta de qualquer dispositivo, os Tibaenses se comprometem a atuar junto à sociedade em prol do correto uso do lixo.

No consumo, os Tibaenses se comprometem a levar em consideração as questões ambientais de produção, uso e pós-uso. Também se comprometem a primeiro tentar reduzir o consumo (simplicidade voluntária), depois tentar re-utilizar produtos e embalagens, sendo a reciclagem a última opção.