Ética e valores tibaporás

 

"...à semelhança de um pescador que joga a isca, o homem lança uma fantasia à distância e lentamente começa a puxar a linha.."
(Willian Irwin Thompson)

Por que identificar princípios, valores e atitudes fundamentais para os tibaenses? Por que falar em Ética?
O Tibá nasceu como um sonho e, progressivamente vem caminhando em direção à materialização e realização desses anseios. Muitos dos nossos desejos dizem respeito a uma sociedade diferente, ou melhor, a novos estilos de convivência - novas formas de se relacionar consigo, com outras pessoas e com o planeta e seus seres.
Sonhamos com interações mais amorosas (Gil), o cultivo de amizades
sólidas (Clara), o respeito a todas as formas de vida (Nena), o
respeito aos nossos limites e potenciação das qualidades individuais
(Aninha), a simplicidade voluntária e um bom emprego do tempo (Dion), cooperação espontânea e liberdade (Adriano). Estes - entre outros - são sonhos compartilhados, que mudam apenas na expressão verbal, mas ressoam enquanto sentimentos verdadeiros.
Temos pesquisado e discutido sobre a organização da ecovila (e.g.,
utilização dos espaços, tamanho, número de habitantes, localização),
seu funcionamento (e.g., estilos de liderança, resolução de conflitos,
tomada de decisões, quem entre e quem sai) e percebemos que algo está por trás de tudo isso: nossos valores. Eles nos ajudam a definir e
estabelecer metas e diretrizes, a "dar a nossa cara" pra ecovila, a
delinear os objetivos e intenções do grupo. Acreditamos que os nossos
valores irão nos aproximar dos futuros tibaenses, que virão até nós
pela identificação. Antes de tornarmos claras nossas intenções, com o
Plano de (Con) Vivência, faremos algumas ressalvas sobre os conceitos
de Ética ao longo do tempo. De que ética o Tibá está falando?

Plano de (Con) Vivência

Alguns dos valores mencionados pelo grupo foram coletados em uma
dinâmica em que pediu-se para listarem pelo menos 3 valores para cada uma das três dimensões: eu, o outro e o planeta. Com as respostas obtidas e outros referenciais já explicitados pelo grupo em diversas discussões, podemos identificar:
A) Valores que queremos alcançar em âmbito individual:
: Liberdade de ser e de se expressar, ter um espaço individual
preservado. Ter os próprios limites respeitados e potencialidades
valorizadas.
: Viver em harmonia e equilíbrio, conservando as saúdes física, mental e
espiritual.
: Buscar o desapego.
: Cultivar amizades sólidas, estando atento a si próprio e ao outro.
: Ter espaços para contemplação e para observação interna (silêncio).
: Aprender a empregar bem o tempo.
: Buscar o crescimento pessoal e espiritual - auto-conhecimento.
: Compromisso com o desenvolvimento dos aspectos pessoais que não são tão fortes e com o usar sabiamente as qualidades individuais.
: Buscar a paz, alegria, sinceridade, não julgamento.

B) Valores que queremos desenvolver em relação às outras pessoas e ao grupo:
: Priorizar a convivência harmoniosa
: Estabelecer relações mais humanizadas e afetuosas
: Compromisso com a auto-análise do grupo
: Ajudar os outros sempre que possível.
: Aprender e ensinar (troca).
: Solidariedade
: Respeitar os direitos do outro
: Compreensão e tolerância.
: Compartilhar
: Evitar conflitos e facilitar tudo, a vida. Buscar a solução de
conflitos e aprender com eles.
: Não submeter, nem ser submisso (liderança em círculo)
: Ter relações que propiciem o crescimento através de uma comunicação
franca, transparência e amorosidade
: Audição empática (ouvir sem julgar)
: Delegar o poder, sem abrir mão dele (responsabilidade)
: Cooperação espontâneaC) Valores que desejamos pôr em prática em prol do planeta:
: Interagir amorosamente. Cuidar do planeta como se cuidasse de si mesmo.
: Observar para aprender. Observar os ciclos e ritmos da natureza e se
harmonizar com ele.
: Amar e respeitar todas as formas de vida, cada qual em seu processo.
: Preservar a natureza
: Fazer a nossa parte para viver em paz
: Divulgar éticas e práticas para um mundo melhor
: Mostrar pelo exemplo e pela prática
: Buscar a fluidez das coisas, para que haja facilidade em fazer o que se
veio fazer nesse mundo. Descomplicar.
: Usar somente o necessário (simplicidade voluntária)
: Contribuir ativamente por um mundo melhor (do lado da permanência/
manutenção e do lado da humanidade/ relações).

D)Enfim, valores que o Tibá incentiva e almeja alcançar em seu
funcionamento e relacionamentos:
: Experienciar a vida em grupo como ferramenta de crescimento pessoal: priorizar o convívio, um tipo de viver que maximize as relações ricas, com pessoas interessantes e com convívio intenso, com tempo. Aprimorar a convivência humana - convivência que promova a compreensão da complexidade dos fenômenos da natureza e das ações humanas, desenvolvendo habilidades de diálogo para a convivência social e a resolução de conflitos, que leve à cooperação entre as pessoas e grupos sociais portadores de diferentes saberes e culturas. Tecer uma rede de confiança e solidariedade.
: Ter um contato maior com a natureza, respeitando a vida em suas
diferentes manifestações.
: Simplicidade voluntária: usar o necessário, sem ter privações, mas
visando o simples, os prazeres simples.
: Permanência: buscar uma forma de vida sustentável ambiental e
economicamente.
: Reduzir custos através da melhor utilização de recursos pela
comunidade, pelo compartilhar. Compartillhar saberes e materiais,
orientados elo princípio de se evitar o supérfluo e o desperdício.
: Sempre tentar fazer o melhor possível. Não se contentar com pouco.
: Valorização da diversidade, pois é através dela que aprendemos.
Respeitar o tempo, as necessidades, os limites e anseios de cada um.
: Comunicação: franca e aberta, para que o convívio e a diversidade
tragam benefícios. Criação de espaços de fala e escuta, que promovem o auto-conhecimento, o conhecimento do outro, a percepção das diferenças e o diálogo como mediação dos conflitos inerentes à condição de desenvolvimento humano e social.
: Apoio mútuo: no trabalho, na amizade e economicamente. Visar a
atitude de receber, acolher, incluir, integrar ao invés de segregar,
excluir, dificultar o acesso.
: Exercer a visão crítica do mundo: nos hábitos pessoais, no consumo,
na educação, na alimentação, etc.Bem, esse é um esboço do que poderemos discutir.